campanha-nacional-de-vacinacao-sarampo
Foto: Divulgação / Sesa
Terrazza Panorâmico

A Secretaria de Estado da Saúde chama a população para o Dia D da campanha de vacinação contra o sarampo, neste sábado (19).

As unidades básicas de saúde estarão abertas em todo o Paraná para aplicação das doses. O secretário da pasta, Beto Preto, reforça o chamado para que pais e responsáveis levem as crianças com mais de seis meses e menos de cinco anos para serem imunizadas.

O sarampo é uma infecção viral, aguda, altamente contagiosa, transmitida por via aérea, através da fala, espirro, tosse e respiração. Pode acometer todas as faixas etárias suscetíveis, tendo maior gravidade nas crianças.

O vírus do sarampo pode levar a complicações como encefalite, meningite e pneumonia. Por isso, a Secretaria de Estado da Saúde, em parceria com o Ministério da Saúde e os municípios paranaenses, reforça a campanha de vacinação.

De acordo novo Boletim Epidemiológico divulgado pela secretaria estadual, são 157 casos de sarampo no Paraná confirmados até esta quarta (16).

Somente nesta última semana foram mais 54 pessoas com a doença. É um aumento de mais de 50% de casos confirmados em relação à semana anterior, que somava 103. Outros 284 casos estão em investigação.

Em Curitiba,123 pessoas já tiveram ou ainda estão com sarampo. Quando ampliado para a Região Metropolitana, o número sobre para 151.

No Interior, os municípios que registram casos confirmados são: Londrina (1 caso), Jacarezinho (1), Ponta Grossa (1), Maringá (2) e Rolândia (1).

A maioria dos casos é registrada em adultos jovens, com idade entre 20 e 29 anos. A Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo iniciou no dia 7 deste mês e está dividida em duas etapas.

Entre 7 e 25 de outubro, o objetivo é ampliar a vacinação em crianças de 6 meses a menores de cinco anos de idade – quatro anos, 11 meses e 29 dias.

O Dia D é neste sábado (19). A segunda etapa da campanha acontece de 18 a 30 de novembro. Nesta fase, os adultos jovens, com idade entre 20 e 29 anos, são o público-alvo, com o dia D no sábado (30).

Os sintomas mais comuns do sarampo são febre alta, tosse, coriza, conjuntivite e exantema (manchas avermelhadas na pele que aparecem primeiro no rosto e atrás da orelha e depois se espalham pelo corpo).

Podem ocorrer também cefaleia, indisposição e diarreia. Como não existe tratamento específico para o sarampo é importante ficar atento ao aparecimento dos sintomas.

Os doentes ficam em isolamento domiciliar ou hospitalar por um período médio de sete dias a partir do aparecimento das manchas vermelhas no corpo.

Da redação com informações da assessoria