Foto: TRE-PR

O TRE-PR divulgou os dados referentes aos votos por cidades paranaenses no último domingo (07). Alguns resultados surpreenderam principalmente em Curitiba.

Na eleição presidencial o resultado ficou dentro do esperado. Jair Bolsonaro (PSL) teve aproximadamente 649 mil votos ou 62,13% dos votos válidos na capital paranaense.

Ciro Gomes (PDT) ficou em segundo, com pouco mais de 124 mil, o que representa 11,9%. Fernando Haddad (PT) ficou em terceiro com quase 97 mil, ou 9,28%.

Na sequência aparecem João Amoedo (NOVO) com 64 mil votos, Álvaro Dias (PODEMOS) teve 42 mil, Geraldo Alckmin (PSDB) conquistou quase 30 mil. Marina Silva (REDE) teve quase 12 mil votos.

Para o governo do estado a votação em Curitiba terminou com os seguintes resultados: Ratinho Jr. (PSD), teve 520 mil 832 votos ou 60,49% da preferência do eleitorado.

Em segundo ficou Cida Borghetti (PP), com pouco mais de 124 mil, ou 14,32% dos votos válidos. João Arruda (MDB) aparece em seguida com quase 95 mil e 500 votos. Dr. Rosinha (PT) Ficou em quarto com mais de 71 mil votos.

A eleição para o Senado chamou a atenção. Com 638 mil e 421 votos, 36,91% da preferência dos curitibanos, Professor Oriovisto Guimarães (PODEMOS), ficou em primeiro.

Flávio Arns (REDE) ficou em segundo com 480 mil 818. Em terceiro, Roberto Requião (MDB), 163 mil 748. Alex Canziani (PTB), conquistou quase 136 mil.

Em seguida aparecem Miriam Gonçalves (PT), Rodrigo Reis (PRTB), e com apenas 43.721 votos, Beto Richa (PSDB) ficou na sétima colocação.

O deputado federal mais votado em Curitiba  foi Gustavo Fruet (PDT). Ele teve mais de 80 mil votos. Em segundo ficou Felipe Francischini (PSL), com quase 70 mil e 500. Dois candidatos a deputado federal tiveram apenas um voto: Valdir Januario dos Santos, e Max Alessandro Ferreira, ambos do PRTB.

O deputado estadual mais votado foi Fernando Francischini (PSL), com  quase 140 mil votos. Em segundo aparece Tadeu Veneri (PT), com quase 36 mil votos em Curitiba. Cerca de 50 candidatos a deputado estadual não registraram um voto sequer no último domingo.

Repórter Fabio Buchmann

Deixe uma mensagem