Foto: Justiça Federal
Terrazza Panorâmico

Um levantamento feito pelo portal de notícias Uol, que foi divulgado neste sábado (14), mostrou que, na avaliação de advogados, os julgamentos relacionados à Operação Lava Jato já não têm a mesma velocidade. A diminuição do ritmo aconteceu com a saída do ex-juiz Sérgio Moro, que era o responsável pela condução dos processos, para assumir o Ministério da Justiça e Segurança Pública, no governo federal.

No lugar de Moro, quem assumiu os trabalhos na 13.ª Vara da Justiça Federal de Curitiba, a partir de março deste ano, foi o juiz Luiz Antônio Bonat. Segundo os advogados ouvidos pelo portal, a desaceleração nas decisões da operação tem explicação na necessidade de Bonat ter amplo conhecimento das ações que estão em trâmite.

Hoje, a Lava Jato tem 47 processos penais e desmembrados correndo nesta vara. A informação foi divulgada pela Justiça Federal, na terça-feira (10).

O novo titular julgou apenas um processo no âmbito da operação, desde quando assumiu os trabalhos. E condenou nove réus, que foram denunciados pelo Ministério Público Federal do Paraná (MPF-PR), em junho do ano passado.

Por outro lado, Sérgio Moro julgou 45 ações penais, entre 2014 e novembro de 2018. Para elas, a média entre a denúncia do MPF e as sentenças definidas na 1.ª instância, após a aceitação da Justiça, foi de pouco mais de 11 meses e meio, levando-se em conta ações penais e processos desmembrados.  

Repórter Marcelo Ricetti