Um projeto que tramita na Assembleia Legislativa do Paraná que trata da instalação de dispositivos antifurto em caixas eletrônicos não seria eficaz na avaliação de vigilantes que cuidam e transportam o dinheiro.

Em 2017, foram registradas 140 ocorrências entre arrombamentos, explosões e tentativas de assalto a instituições bancárias no Paraná. Destas, 77 envolveram caixas eletrônicos, 52 foram assaltos a bancos e 11 foram investidas contra carros-fortes. Nestes dois primeiros meses de 2018, até a última quarta-feira, o levantamento feito pelo Sindicato dos Vigilantes de Curitiba e Região mostra que já foram contabilizadas 24 ações de bandidos em todo o Estado. Sendo 10 assaltos a banco, 10 ataques a caixas eletrônicos, dois assaltos a carros-fortes e dois roubos a lotéricas. O presidente da Federação dos Vigilantes do Paraná, João Soares, diz que os trabalhadores que cuidam do dinheiro atuam com medo e insegurança.

Tendo em vista as ações dos bandidos, desde 2015 tramita na Assembleia Legislativa um projeto que obriga estabelecimentos bancários e financeiros de todo o Paraná a instalar dispositivos antifurto nos caixas eletrônicos. A proposta de autoria do deputado Luiz Claudio Romanelli, do PSB, previa inicialmente a implantação de equipamentos que mancham as notas em caso de explosão. Após a análise da Comissão de Segurança do Legislativo, o texto foi alterado e agora fica a critério do banco a escolha do dispositivo. Para o presidente da Federação dos Vigilantes o entintamento das notas não funciona na prática.

João Soares afirma que a solução seria limitar o valor guardado nos caixas eletrônicos.

Na avaliação do presidente da Federação dos Vigilantes, a diminuição do valor transportado em carros-fortes também evitaria os ataques nas estradas.

O projeto do deputado Luiz Claudio Romanelli foi aprovado em primeira discussão e recebeu emenda na segunda votação. Dessa maneira a proposta retornou a Comissão de Constituição e Justiça, onde será analisada novamente na terça-feira para então voltar para apreciação dos 54 deputados estaduais.

Repórter Francielly Azevedo

Deixe uma mensagem